PRIME: pesquisadores criam tecnologias ambientais para frigoríficos

Previous Next

“Dispositivo para Separação Simultânea de Sólidos Particulados, Óleos e Gorduras Contidos em Efluente de Frigorífico De Peixes” é uma das patentes da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) aprovadas para participar do programa PRIME que selecionou outras sete patentes desenvolvidas na Instituição.

A patente é um estudo de caso do Grupo de Pesquisa em Inovações Tecnológicas para o Desenvolvimento Territorial Inovador (GPINOVA) da Unioeste e tem como inventores Camilo Freddy Mendoza Morejon e Ana Paula Sone do Programa de Pós-graduação em Engenharia Química, campus de Toledo.

Esta patente abrange um equipamento para o tratamento de rejeitos líquidos de frigoríficos, em particular de frigoríficos de peixes. De acordo com Ana Paula, esse projeto se diferencia em vários aspectos. “O equipamento apresenta componentes e dispositivos com características diferenciadas na forma de alimentação do efluente, na forma de separação dos óleos, gorduras e dos sólidos particulados sedimentáveis e na forma de retirada dos componentes separados, cujo conjunto propicia uma melhoria na eficiência do tratamento do efluente”, explica.

Após a fase laboratorial, por meio de uma parceria com a empresa INOMAQ INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE EQUIPAMENTOS e a COPISCES COOPERATIVA AGRO INDUSTRIAL DE PSICULTURA de Toledo a tecnologia foi implementada, na escala real de operação. "Esse equipamento propicia tanto a separação dos óleos e gorduras, quanto a separação dos sólidos sedimentáveis, os quais são acondicionados, respectivamente em tanques pulmão para seu posterior aproveitamento”, como explica a professora Ana Paula.

Segundo a Ana Paula, o programa PRIME vai ajudar os inventores da patente a ter mais foco no mercado, buscando além do empreendedorismo, empresas parceiras. “O foco dessa patente são os frigoríficos de peixes, mas com o incentivo do programa PRIME queremos encontrar novas oportunidades de relacionamento universidade-empresa”, comenta.

 

Quem é a pesquisadora

Ana Paula Sone possui graduação em Química- Licenciatura pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2007). Especialização em auditoria e gestão ambiental (2011). Mestrado em Engenharia Química pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2013). Doutorado em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Maringá (2017) e Pós-doutorado pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2019). Atualmente é pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Inovações Tecnológicas para o Desenvolvimento Territorial Sustentável (GPINOVA). 

 

Texto: MIlena Griz, supervisão: Patricia Bosso