Professora Francis assina aposentadoria após 45 anos de carreira

Previous Next

“Livro, quando te fecho, abro a vida”. Essa frase do poeta chileno Pablo Neruda aplica-se aos visionários, escritores, educadores, entre tantos outros que extraem da educação a seiva da vida e da transformação. Com esse espírito, associando estudo acadêmico/científico e ação político sindical-partidária, a Professora Doutora Francis Mary Nogueira, assinou a sua aposentadoria, na Universidade Estadual do Oeste (Unioeste), instituição reconhecida como Universidade, em dezembro de 1994, trajeto que ela acompanhou do nascer à consolidação.

Paulista de Fernandópolis, Francis começou a trabalhar na educação básica em 1976, período de transição da dura ditadura militar para a democracia, antes mesmo da promulgação da Constituição de 1988, que traz em seus artigos o direito à universidade pública, gratuita e de qualidade.

Francis Mary tem 45 anos dedicados à educação, dos quais 30 à Unioeste, muitos na linha de frente do Sinteoeste. Ao segurar a caneta que selou sua aposentadoria, Francis não escondeu a emoção, em meio a gestos sutis, que revelavam o sentimento de dever cumprido misturado ao sorriso da gratidão. “Foi aqui que passei os momentos mais duros, emocionantes e de aprendizado da minha vida. Sem palavras”, simplifica. Entre as conquistas está a efetiva participação para a aprovação do Plano de Cargos e Salários dos Servidores Técnicos, em 2012.

Na carreira universitária, sempre atuou junto ao Curso de Pedagogia e, mesmo depois de aposentada, continuará docente voluntária do Programa de Pós-Graduação em Educação do Campus de Cascavel.

Em três décadas no meio acadêmico, em muitos momentos foi representante dos trabalhadoras/res no Conselho Universtário, orientou inúmeros trabalhos de conclusão de curso-TCCs, bem como dissertações de mestrados, sem contar a contribuição como membro de banca de qualificação em todos os níveis stricto sensu, na Instituição e fora dela.

Num ato simbólico, no gabinete da Pró-Reitoria de Recursos Humanos, junto à professora Doutora Joseane Rodrigues da Silva Nobre, Sonia Bonatto Roani, que responde pelo setor de aposentadorias e da colega de instituição, Sandra Regina Fernandes.

Aos olhos da pró-reitora Joseane, a professora Francis fez escola e foi inspiração para muitos, “eu mesma quando cheguei aqui admirava aquela mulher forte, de calça jeans, à frente do seu tempo, uma vanguardista. Ela também foi fundamental para a consolidação da Universidade até o momento atual. Deu-me aula e foi exemplo de dedicação e trabalho”.

Sempre focada na área de Estado, Políticas Sociais, Políticas Educacionais, Política Educacional na América Latina, Francis possui graduação em Letras pela Universidade Tuiuti do Paraná (1987), Mestrado em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1993), Doutorado em Filosofia e História da Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1998) e Pós-Doutorado na Universidade Central da Venezuela.

Sobre o futuro, Francis tem uma meta, ter fluência no alemão, considerada uma das línguas mais difíceis, com a dureza das consoantes nos finais das palavras, porém, sua paixão continua nas terras da América Latina, sobretudo a Venezuela, país que inspirou seu último livro, ainda, no prelo, Venezuela: Os impactos das sanções institucionais nas universidades públicas, pela Editora Navegando.

Na biografia acadêmica, Francis escreveu as obras: Políticas Educacionais do Estado do Paraná na década de 1980 e a Pedagogia Histórico Crítica. 1. ed. Cascavel: Edunioeste , 2012; Políticas Sociais e Desenvolvimento: América Latina e Brasil. 1. ed. São Paulo: Xamã, 2007. V Estado e Políticas Sociais: Brasil-Paraná. 1. ed. Cascavel: EDUNIOESTE, 2003; Estado e Políticas Sociais no Brasil. 1. ed. Cascavel: Editora e Gráfica Universitária da Unioeste - Edunioeste, 2001 e. Ajuda externa para a educação brasileira: da usaid ao banco mundial: EDUNIOESTE, 1999.

Para Francis, o livro não será fechado no momento da aposentadoria. E, novamente, recorrendo à Neruda, Premio Nobel de Literatura e um dos principais ativistas pela democracia e liberdade na América Latina, é pertinente citar outra de suas célebres frases, “[{...}Se não puderes ser uma estrada, Sê apenas uma senda, Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela. Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso. Mas sê o melhor no que quer que sejas".

Por Mara Vitorino
Fotos: Mara Vitorino