Dia do Fisioterapeuta: profissão está presente em todos os setores do Huop

Previous Next
A rotina é intensa, envolve diversas especialidades e técnicas. O fisioterapeuta está presente em todos os setores do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop), atendendo nas áreas: cardiovascular, pulmonar, neurológica, ortopédica, craniofacial, terapia manual, terapia intensiva, emergência, entre outras, realizando manejo de ventiladores, auxiliando para que o paciente tenha uma reabilitação completa, mesmo após a alta hospitalar. “Não é um atendimento rápido, e é essencial que o profissional possa acompanhar em diferentes setores do hospital e, com isso, possa agregar diferentes técnicas que auxiliam na recuperação”, diz a fisioterapeuta Joseane Silva Nobre.

No Huop, o acompanhamento com o fisioterapeuta não encerra após a alta, e sim, continua no ambulatório. “Faz parte do cuidado com a saúde esse processo de reabilitação desde o início do internamento, e por consequência, essa avaliação de até quando precisará do acompanhamento. O trabalho consiste em prevenir, tratar e recuperar, independentemente da idade, e por isso, é importante a atuação em todas as áreas”, explica a fisioterapeuta Janaína Paula Aroca. Segundo ela, o acompanhamento frequente também é benéfico para uma recuperação ainda mais ágil. “Em alguns casos, o fisioterapeuta ajuda até mesmo no adiantamento no processo de alta dos pacientes”, comenta Janaína.

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) conta com o curso de Fisioterapia, e o Huop conta também com duas residências na área: Fisioterapia Hospitalar e Fisioterapia Intensiva e também se inclui na residência multiprofissional. Isso é um ganho para nossa instituição, pois agrega profissionais formados de diversas localidades. E hoje temos uma equipe extremamente qualificada, tanto no sentido acadêmico, quanto nas especialidades. E estes, não estão sozinhos enquanto profissionais. Eles estão incluídos na equipe multiprofissional e replicando o conhecimento aos residentes e acadêmicos que realizam os estágios aqui”, afirma Joseane.

Os programas de residência permitiram inclusive outras conquistas ao hospital, como o maior número de profissionais. “Começamos com número pequeno de fisioterapeutas e conseguimos aos poucos aumentar os recursos. É uma profissão com infinitas possibilidades, várias técnicas e especialidades, e a qualidade de atendimento mudou muito ao longo dos anos. Temos muito a comemorar”, enfatiza Joseane. “É uma data para comemorar as conquistas, o nosso reconhecimento, além disso, aproveitar para mostrar o papel e a importância da profissão dentro do ambiente hospitalar”, finaliza Janaina.



Imprimir