É o amor da vida de alguém: familiares relatam esperança na recuperação da Covid-19

Previous Next
“Tivemos muita fé durante todos esses dias, rezamos para que os médicos fossem iluminados”. Essa são palavras da dona Elia Moreira da Costa, que teve as últimas semanas resumidas em muita oração. Foi no início do mês que o marido, Claudio Roberto Pereira, que tem 60 anos e faz parte do grupo de risco, recebeu o exame positivo para Covid-19. Foram 12 dias em que precisou ficar internado na UTI da Ala Covid-19 do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop). “Ele chegou no hospital já em estado grave. Precisou de resgate e suporte à vida de maneira intensiva, foi pronado, que é a posição em que o paciente fica debruçado, denotando a gravidade do caso dele”, diz o médico coordenador da Ala Covid-19 do Huop, Gabriel Kreling.

Dona Elia conta que quando soube do resultado o desespero foi inevitável. Os sintomas do Claudio começaram ainda no fim de maio, quando então houve a piora do quadro clínico e a transferência para o Huop. “Vemos muitas pessoas que não sobrevivem então ficamos com a preocupação. Foi um choque para todos nós, mas cremos no milagre e oramos muito para que ele ficasse bem”, afirma Elia.

No dia 16 de junho, Claudio foi extubado e saiu do coma induzido. Nesse momento ele apresentou uma reabilitação significativa, chamando a atenção de toda a equipe multidisciplinar. “Ele acordou do coma já fazendo exercícios, e isso chamou a atenção, pois nem todos os pacientes conseguem ter esse nível de consciência de colaborar, entender e se comunicar tão rápido. Isso é uma grande vitória”, comenta Gabriel.

Foi então no dia 17 de junho que Claudio recebeu alta da UTI para a enfermaria, e fez a primeira ligação para a esposa. “Foi uma surpresa quando recebi a ligação e ouvi a voz dele. Nem esperava que ele mesmo ligasse, pois antes era a equipe quem ligava passando as informações. Fiquei muito aliviada em saber que estava bem e conversando”, conta. Claudio se recupera em casa desde o dia 22 de junho. “Ele me contou que conversava com Deus para que pudesse ver todos novamente. Estamos muito felizes, pois ele ainda está um pouco sonolento, mas está bem em comparação a tudo que passou. A única coisa que eu posso dizer para quem enfrenta algo parecido é para que tenham fé e confiem que tudo vai ficar bem”, enfatiza Elia.

HUOP TEM MAIS DE 70 PACIENTES RECUPERADOS DA COVID-19

São 97 dias da Ala Covid-19 no Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop). Até agora foram 71 pacientes confirmados com a doença, que se recuperaram e receberam alta hospitalar. O número é considerado significativo pelo tempo da Ala Covid-19 e em comparação ao número de óbitos, que somam 8 na instituição. “Os dados de mortalidade são relativamente baixos em comparação ao que vemos na literatura, e o número de altas chama a atenção. Isso nos dá uma alegria e uma motivação para continuarmos”, comenta Gabriel.

O cenário da Ala Covid-19 aponta ainda que grande parte dos pacientes tem idades entre 40 a 59 anos, na sequência pessoas com mais de 60 anos, e por último, pacientes de 20 a 39 anos. “Grande parte possui fatores de risco, mas também há aqueles que não fazem parte do grupo de risco, ou seja, ninguém está totalmente seguro. Muitas vezes os pacientes chegam com a mesma gravidade, o que difere é que a comorbidade interfere no processo de recuperação, fazendo com que o paciente fique mais frágil e suscetível às infecções, não respondendo às medidas que realizamos”, explica Gabriel. “Nosso objetivo é manter a qualidade e entender o paciente conforme a individualidade. Os números de altas e essas recuperações nos motivam. Os óbitos nos entristecem, mas quando há uma alta nos alegramos muito em saber que podemos salvar vidas como a do Claudio”, ressalta.


Acessos: 327
Imprimir