Marechal: Curso de Letras oferece programação especial

Previous Next
O colegiado do curso de Letras do campus de Marechal Cândido Rondon da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) tem adotado uma série de medidas para manter a excelência do trabalho na formação do professor de Língua Portuguesa e Línguas Estrangeiras (Alemão, Espanhol e Inglês). São tempos difíceis que obrigam a todos a repensar algumas das estratégias pedagógicas durante o período de isolamento social.

De acordo com as diretrizes da proposta da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), os professores propuseram Projetos de Ensino durante o período noturno, de segunda a sexta-feira, em modalidade on-line. De acordo com Mirian Schröder, coordenadora do colegiado, há uma dupla vantagem, “por um lado, os projetos não se ocupam das disciplinas curriculares do curso (o que poderia prejudicar os alunos que não têm acesso à internet); por outro, abrem novas possibilidades do escopo de autores e de discussões que compõem o percurso reflexivo do estudante”.

PROGRAMAÇÃO

A semana começou com as professoras Adriana da Cunha e Liane Schwingel (convidada) incitando o pensamento sobre os “Desafios e Passibilidade na Educação em Tempos de Pandemia”. A discussão abarca o desafio mais do que pertinente à realidade atual de compreender o impacto da pandemia na educação; analisar desafios e possibilidades para a educação pós-pandemia; compreender a diferença entre educação remota e educação à distância e refletir sobre o conceito de autonomia.

Na terça-feira, foi ofertado o curso de “Práticas analíticas da imagem (em movimento): mídia, fotografia e cinema”, sob coordenação do professor Rafael de Souza Bento Fernandes, o qual trabalha as teorias da análise do discurso aplicadas à leitura de corpora de natureza imagética e filmográfica. À luz da teoria foucaultiana, os jogos de linguagem se estruturam nas vontades de verdade e no exercício dos poderes, os quais são escrutinados, no curso, a partir do referencial teórico.

Na quarta-feira, foi desenvolvido o Projeto de Ensino “Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação e o Desenvolvimento dos Multiletramentos”, com a coordenação das professoras Madalena Benazzi Meotti e Mirian Schröder. O objetivo era refletir sobre a inserção das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) no ensino, visando a produção de texto na perspectiva dos multiletramentos, bem como produzir, em conjunto com os participantes, ODEAs que auxiliem o ensino da língua portuguesa.

Na quinta-feira a programação foi a noite das línguas estrangeiras. As professoras do colegiado de Letras Miria Gundt Papp e Elisângela Redel, em colaboração com os docentes Méry Krammer e Benjamin Hennecke e com a discente de Letras Amanda Walker, oferecem o projeto “Kino – Cinema de Expressão Alemã: debatendo culturas”. O objetivo foi socializar e discutir aspectos histórico-culturais alemães por meio de filmes e/ou séries, focalizando temáticas que transitam pelos eixos da trans/interculturalidade, da memória e da pluralidade cultural. Os filmes selecionados contemplam questões como o holocausto, o autoritarismo, o pós-guerra e os pensadores alemães (filósofos, literatos e artistas).

A professora Tatiana Lima de Paiva, no projeto “Platicando en español”, desenvolveu semanalmente, diálogos na língua espanhola com os acadêmicos sobre temas diversos (meio ambiente, direitos humanos, diversidade étnico-racial, de gênero, sexual, religiosa, etc.) tendo como ponto de partida diferentes gêneros textuais, tais como diários, sinopses de filmes, biografias e notícias.

Na língua inglesa, por sua vez, o professor Rodrigo Smaha Lopes coordenou o projeto “English at home: a tour through some of the best sitcoms”. A cada semana, os discentes têm contato com um episódio de série “sitcom”, organizados de forma cronológica. Nos encontros on-line, discutiu-se certas questões gramaticais, de léxico e de pronúncia (expressões usadas no dia a dia e estruturas gramaticais frequentes na fala), seguido de atividades de fala em pequenos grupos, envolvendo tanto o role-play dos diálogos das séries como prática da conversação.

Na conclusão da semana foi promovido um percurso pela literatura, especificamente das/nas “Distopias literárias juvenis: um olhar para a recepção de leitura de jovens leitores na rede social SKOOB”, sob coordenação da professora Luciana Bonfim. O projeto abordou a contextualização histórica do surgimento dos conceitos de utopia e distopia na literatura ocidental, bem como a identificação dos temas recorrentes nos clássicos da distopia literária e seus “respingos” na literatura infantil.

Por Mirian Schröder e Luis Gustavo


Acessos: 292
Imprimir