Menu




 Inicial


 Conselho Editorial


 Como Publicar



 Catálogo



 Livraria Virtual



 Editais



 Periódicos



 Equipe



 Gráfica Universitária



 Notícias



 Links



 Fale conosco



 Memória da Editora





SÉRIE ESTUDOS FILOSÓFICOS

APRESENTAÇÃO


    O estudo da filosofia se apresenta hoje numa feição de esclarecimento. A atividade filosófica aparece, predominantemente, sob o registro da exegese das grandes obras legadas pela tradição do pensamento humano. Desse modo, a produção acadêmica em nosso meio afigura-se, à primeira vista, como o labor de um leitor cuidadoso de um texto preocupado com a trama interna e a fidelidade às fontes. Seria correto afirmar que uma leitura rigorosa se opõe à problematização da Filosofia? Trai-se o legado da tradição quando não se avança no problema aberto pelo texto? Por outro lado, é possível levantar questões pertinentes em Filosofia sem ter uma leitura adequada da sua história? É possível realizar uma boa interpretação sem levantar o problema que emerge do texto interpelado?

    É com esse espírito, surgido do diálogo entre a laboriosa exegese e a vasta problematização, que o Curso de Filosofia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná propõe a "Série Estudos Filosóficos". Objetivamos, por meio da pluralidade de textos e de matizes que formam esta coleção, participar da soberana liberdade dos problemas filosóficos e, ao mesmo tempo, manter uma absoluta fidelidade à letra da tradição. No que se refere ao projeto editorial da Série, cabe esclarecer que as obras poderão ser tanto coletâneas reunindo trabalhos dos professores que atuam no Curso de Filosofia, bem como produções individuais dos docentes. Temos a convicção de que, com iniciativas como esta, manteremos viva a tarefa de refletir desde o fundamento, mas levando em consideração toda a tradição filosófica ocidental.


TÍTULOS PUBLICADOS






Conhecimento: fundamentação, estatuto e possibilidade
Organizadores: César Augusto Battisti e Wilson Antonio Frezzatti Jr
Número de Páginas: 263
Ano: 2006
ISBN: 85-7644-046-6

Teoria do conhecimento, epistemologia, filosofia da linguagem, lógica, filosofia da ciência e história da filosofia são disciplinas que perpassam os vários capítulos. Os períodos históricos da filosofia também estão representados: apesar de essa divisão de tempo ser uma convenção, alguns aspectos são representativos dessas épocas. O questionamento sobre o ser (na filosofia antiga), o processo de formação da ciência como disciplina independente (na filosofia moderna) e as críticas contra a ciência (na filosofia contemporânea) são exemplos disto.







Lições de ética e política
Organizadores: José Luiz Ames e Luis César Yanzer Portela
Número de Páginas: 270
Ano: 2006
ISBN: 85-7644-051-2

Fruto de um trabalho de pesquisa coletivo, esta obra oferece uma visão de conjunto e, ao mesmo tempo, expressa um ponto de vista crítico sobre a história do pensamento ético e político ocidental, dos gregos aos dias de hoje. Sem perder de vista os textos dos pensadores, os diferentes capítulos do livro, cada um dedicado à análise do pensamento ético ou político de um determinado filósofo, acompanham o fio da gênese, das mudanças e do destino das categorias políticas e éticas ao longo da história da filosofia.







Percursos na história da filosofia
Organizadores: Luis César Yanzer Portela e José Luiz Ames
Número de Páginas: 249
Ano: 2006
ISBN: 85-7644-040-7

Coletânea de estudos e ensaios que procura oferecer ao leitor uma noção dos interesses e pesquisas desenvolvidas pelos membros do Colegiado do Curso de Filosofia da Unioeste. Seus autores, em sua grande maioria, integram o Grupo de Pesquisa em História da Filosofia. Neste livro percorre-se os vários períodos da história da filosofia com a intenção de apresentar uma amostra da trajetória seguida pelos filósofos e também de seus próprios percursos investigativos.







Ressonâncias filosóficas: entre o conhecimento e a ação
Organizadores: Eliane de Souza e Eládio Craia
Número de Páginas: 209
Ano: 2006
ISBN: 85-7644-058-X

A obra configura um vasto ensaio desde as perspectivas de abordagem de alguns problemas urgentes propostos ao pensamento de nosso tempo, visando, fundamentalmente, balizar um epicentro comum para estes problemas. Para o leitor que demanda uma discussão aprofundada em torno de problemas como a relação entre ética e política, a expressividade lingüística e a relação do homem com suas próprias conquistas científicas e técnicas, o presente texto constitui uma ferramenta privilegiada de trabalho.







Ensaios de Filosofia Moderna e Contemporânea
Organizador: Daniel Omar Perez
Número de Páginas: 230
Ano: 2001
ISBN: 85-86571-52-0

Os textos da tradição parecem demandar uma leitura de historiador da filosofia. Desse modo, a produção acadêmica em nosso meio afigura-se como o labor de um leitor cuidadoso de um texto idêntico a si mesmo, regido pela conveniência da coerência, preocupado com a trama interna e determinável per se. Com efeito, o rigor do trabalho solicita essa disposição. Parece que uma leitura rigorosa opõe-se à problematização da filosofia. A urgência do filósofo que levanta questões, e usa a tradição para tal fim, passaria por alto exatamente sobre aquilo que a paciência do filósofo que cuida do texto zela com a maior dedicação. O historiador da filosofia aborda a letra dos filósofos procurando manter a maior fidelidade. Mas até que ponto não trai o legado quando não avança no próprio problema que o texto abre? Aristóteles, mas também Kant, Hegel, Nietzsche, Wittgenstein ou Heidegger conseguem captar fielmente o sentido dos discursos filosóficos da tradição ocidental? E, caso contrário, qual seria o valor dos seus escritos? É possível levantar questões pertinentes em filosofia sem ter uma leitura adequada da sua história? É possível realizar uma boa interpretação sem levantar o problema que emerge do texto interpelado? Estas são algumas das discussões apresentadas na presente obra e que servem de inspiração para apresentar propostas de leitura de textos significativos da história da filosofia.







Subjetividade e silêncio no "TRACTATUS" de Wittgenstein
Autor: Horacio Luján Martínez
Número de Páginas: 192
Ano: 2001
ISBN: 85-86571-51-2

Este livro possui uma intenção inicial clara: entender o Tractatus Logico-philosophicus de Ludwig Wittgenstein noutros termos que os da contradição. O livro do filósofo vienense foi qualificado de contraditório por muito tempo porque, afirmamos, não foi corretamente considerada a relação complementar entre lógica e ética. Assim, o mundo que está logicamente estruturado e que pode ser descrito dentro dos limites da linguagem, precisa ser aceito por uma vontade que pretende constantemente ultrapassar esses limites. Tal aceitação será um ato ético que se identificará com o misticismo: reconhecer os limites da linguagem deve levar ao silêncio sobre as coisas mais importantes. Desse modo, as proposições do Tractatus convivem com o pedido de silêncio do final do livro.







Ensaios de Ética e Política
Organizador: Daniel Omar Perez
Número de Páginas: 158
Ano: 2002
ISBN: 85-86571-70-9

Através de diversas problemáticas da política, do direito e da ética os textos desta coletânea apresentam a distância entre o homem e a lei que não é outra coisa que a lógica do agir. Assim, o conjunto dos trabalhos que publicamos neste livro visa abordar a questão do agir humano em relação com suas leis de acordo com diferentes perspectivas filosóficas. No primeiro capítulo o professor José Luis Ames aborda a lei na relação do Estado e o indivíduo segundo o pensamento de Machiavelli. No segundo capítulo o professor Luis Yanzer Portela versa sobre o problema do fundamento da filosofia política de Hobbes. No terceiro capítulo o professor Arlei de Espíndola mostra a origem da moralidade em Rousseau. No quarto capítulo o professor Wilson Antonio Frezzatti Junior se demora nas considerações sobre a transparência nas relações políticas também segundo Rousseau. No quinto capítulo o trabalho do professor Daniel Omar Perez sobre Kant interpreta a relação entre lei moral e coerção da razão à luz do sentimento moral. No sexto e último capítulo o professor Horacio Lujan Martinez faz uma leitura da "filosofia política" de Wittgenstein. Estes Ensaios de Ética e Política proporcionam a leitura de algumas variáveis possíveis em relação com o agir humano. Não há pretensão de encerrar a questão. Apenas sugere-se sua possibilidade de problematização.







MAQUIAVEL
A Lógica da Ação Política
Autor: José Luiz Ames
Número de Páginas: 273
Ano: 2002
ISBN: 85-86571-67-9

Será difícil encontrar alguém, hoje em dia, que não se sinta à vontade para empregar correntemente expressões como maquiavelismo, maquiavélico ou maquiavelicamente. Semelhante banalização do nome de Maquiavel gera uma ilusão traiçoeira de familiaridade com suas idéias que desestimula um esforço mais sério para conhecer o seu pensamento. O fato é que o secretário florentino tornou-se através dos tempos uma figura legendária, erigido em símbolo de tudo o que há na política de demoníaco, de equívoco e inescrupuloso, de astúcia e dissimulação. Contudo, será que a reflexão mais aprofundada de sua obra autorizaria uma interpretação da política como uma pura técnica? Separa Maquiavel efetivamente a moral da política? Apregoa ele a utilização da religião como mero instrumento de legitimação do poder? É o homem, na sua opinião, naturalmente mau? Será unicamente a lógica da força o que garante a ordem e a segurança dos Estados? Defende realmente que os fins justificam os meios? Neste livro, o autor enfrenta estas e outras questões de maneira clara e sucinta, de forma que o leitor encontrará uma boa introdução ao pensamento político de Maquiavel. Tanto quem já se iniciou, quanto aqueles que pretendem alcançar uma visão de conjunto do pensamento de Maquiavel encontrarão nesta obra um guia seguro. A análise criteriosa dos textos originais é complementada por uma farta e atualizada bibliografia dos diferentes pontos debatidos. Apresentado originalmente como tese de doutorado no programa de pós-graduação da UNICAMP, onde mereceu a aprovação com "distinção e louvor", sua publicação foi unanimemente recomendada pela banca examinadora por suas características de originalidade, clareza, profundidade e amplitude.







O método de análise em Descartes
Autor: César Augusto Battisti
Número de Páginas: 420
Ano: 2002
ISBN: 85-86571-69-5

Este livro discute a velha questão do método cartesiano a partir de uma perspectiva pouco explorada: a da tradição dos praticantes do método de análise, solucionadores de problemas matemáticos. Após aproximar o modo de produção dos geômetras antigos e algebristas modernos ao de Descartes, o texto percorre a obra cartesiana para mostrar como o filósofo se filia a essa tradição e de que forma constrói sua concepção metodológica. Contrabalançando reflexões sobre o método e ilustrações de sua atuação, ganha sentido também a tese sobre a sua abrangência universal. Não há como negar uma visão diferente sobre a filosofia de Descartes.







Kant Pré-Crítico
Autor: Daniel Omar Perez
Número de Páginas: 140
Ano: 1998
ISBN: 85-86571-19-9

É uma obra que introduz o leitor a alguns textos kantianos em sua fase pré-crítica. A investigação procura apresentar questões de significação na formulação e resolução de problemas metafísicos e a passagem para o tratamento crítico. Na busca de uma boa metafísica que alcance conhecimentos certos, rechaçando a ilusão dogmática e a possibilidade cética, de que tal metafísica, se existe, é tão só o sonho de um visionário, constata-se o fracasso deste projeto empreendido por Kant. A pesquisa volta-se para a preocupação semântica de Kant com relação à formulação e resolução de problemas. Na tentativa de elaborar campos de sentido, assumem importância, no estudo do kantismo, os problemas de significação. É neste campo que se situa a atividade filosófica em termos críticos.







A Problemática Ontológica em Gilles Deleuze
Autor: Eladio C. P. Craia
Número de Páginas: 179
Ano: 2002
ISBN: 85-86571-68-7

Acreditamos não ir muito longe da verdade se afirmarmos que, filosoficamente falando, o século XX poderia ser caracterizado a partir da intenção, cada vez mais clara, de superar o horizonte do pensar metafísico. Os projetos de Husserl e Heidegger, mas também das escolas lógicistas e da análise da linguagem, entre tantos outros, assim parece demostra-lo. Nesta perspectiva, a jornada de Deleuze adquire uma importância singular. Um pensador discreto e sóbrio, mas, ao mesmo tempo, vigoroso e denso, a ponto de Foucault vaticinar que: "algum dia o século será deleuziano". Sua heterogeneidade, que o levou a ser uma formidável máquina de criação de conceitos, e à abordagem de objetos de pesquisa pouco comuns na filosofia, convive com uma releitura dos clássicos e de suas categorias mais decisivas. Exemplo desta particularidade do pensamento de Deleuze, é o fato de trabalhar, de modo intenso, com a categoria de Ser, tão cara à tradição. Há em Deleuze, toda uma reflexão, alias uma das mais ricas do século, entorno à problemática ontológica e a questão que interroga o Ser. Deleuze problematiza o campo ontológico e, nesse movimento, questiona o estatuto do Ser. Ao longo desse percurso deleuziano, se impõe, com força própria, uma primeira afirmação: esta ontologia pensada por Deleuze, deve ser denominada como "não metafísica". É partindo do reconhecimento da polissemia que atravessa a noção "metafísica", e seguindo certas rotas da filosofia do século XX que levariam a sua superação, que deve ser pensado o campo metafísico. Assim, a ontologia que é delineada pelo pensador francês, não é "anti-metafísica ou a-metafísica", ela é, claramente, um esforço para pensar o "fora" do registro metafísico. Balizam este esforço, noções filosoficamente potentes, como Diferença Univocidade, imanência e problema. Eis ai o suporte conceitual e especulativo da ontologia de Deleuze. Procurar, nas fendas da história da filosofa, um pensamento "menor", ou a força que obriga a pensar. Pela procura desse pathos, é possível afirmar que Deleuze é um pensador da aposta corajosamente afirmada, é o filósofo que reconheceu a riqueza de todos os questionamentos, mesmo aqueles que nos conduzem a lugares duvidosos.


E D U N I O E S T E
EDITORA E GRÁFICA UNIVERSITÁRIA
Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Rua Universitária, 1619
Jardim Universitário
Cascavel - PR
CEP: 85819-110 - Caixa Postal 701
Fone: (45) 3220-3027 - Fax: (45) 3324-4590
http://www.unioeste.br/editora/




© Copyright 2009 UNIOESTENET - Todos os direitos reservados